Começou em 12 de abril e termina em 9 de julho a 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (gripe), que tem o objetivo de imunizar em torno de 8,4 milhões de pessoas em Minas Gerais. Nos 27 municípios abrangidos pela Superintendência Regional de Saúde de Passos (SRS Passos), o público-alvo da campanha é formado por 178.132 pessoas, que compõem os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde.  São crianças, mulheres grávidas, idosos, pacientes com comorbidades, grupos específicos de trabalhadores, dentre outros.

            A SRS Passos recebeu da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) a primeira remessa de vacinas, num total de 13.600 doses, que já foram distribuídas aos municípios para cumprir a etapa inicial da campanha. Segundo a Coordenadoria Estadual do Programa de Imunizações da SES-MG, a meta é imunizar 90% dos grupos prioritários.

“As doses de vacinas contra a influenza são recebidas por remessas de acordo com o quantitativo liberado pelo laboratório produtor ao Ministério da Saúde. Deste, as vacinas são enviadas às secretarias estaduais de saúde, unidades regionais de saúde e aos seus respectivos municípios da rede SUS (Sistema Único de Saúde)”, explica a referência técnica de imunização, Sueli Veloso Maia, da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Nuvepi) da SRS Passos.

Conforme a programação, devem ser imunizados até 10 de maio: crianças de seis meses a menores de seis anos de idade, gestantes, puérperas e trabalhadores da saúde.          A segunda etapa – de 11 de maio a 8 de junho – contempla os idosos de 60 anos e mais e os professores.

Na terceira etapa – de 9 de junho a 9 de julho – serão vacinados os pacientes com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbanos e longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema prisional, população encarcerada e adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas.

De acordo com Sueli Veloso, a vacinação contra a gripe visa reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes da infecção na população-alvo da campanha.

Segundo a SES-MG, os municípios têm autonomia para definir a melhor forma de executar a imunização, conforme sua própria realidade e cenário epidemiológico. No entanto, como a vacinação contra a gripe ocorre durante a pandemia do novo coronavírus, a SES-MG recomenda organização das salas de vacinação e estratégias para que não haja aglomeração de pessoas a serem imunizadas.

Assessoria de Comunicação Social

Superintendência Regional de Saúde de Passos

Deixe uma resposta